Book Club | “The Frackers – The Outrageous Inside Story of the New Billionaire Wildcatters”

the frackersGregory Zuckerman é um daqueles autores com um talento especial para escrever a história como se de um romance se tratasse, o autor de “The Greatest Trade Ever”, livro que descreve a elaboração e execução da estratégia de John Paulson e seus colaboradores na maior transacção de sempre que tirou proveito do colapso do mercado imobiliário dos Estados Unidos, abraçou em “The Frackers” a história dos pioneiros da exploração de petróleo e gás para lá das rochas de xisto. Em boa verdade, o homem sabe há muitos anos da existência de hidrocarbonetos em “armadilhas” de rochas (o nome “petróleo” significa “óleo da pedra”) mas a insistência de um grupo de empreendedores americanos foi o primeiro capaz de explorar com sucesso comercial as riquezas abaixo das camadas de xisto.

“The Frackers” começa por contar a história de George Mitchell cuja empresa foi pioneira a usar a tecnologia de fracturação hidráulica das rochas (hydraulic fracturing) para exploração de gás na formação rochosa do Barnett no norte do Texas. A persistência de mais de uma década de Mitchell no aperfeiçoamento da tecnologia permitiu a revolução energética mais recente nos Estados Unidos com efeitos em todo o mundo.

Gregory Zuckerman não foca a sua narrativa apenas na tecnologia e nos efeitos económicos da revolução do shale gas mas também na personalidade das pessoas que levaram a cabo a revolução como Aubry McCLendon e Tom Ward da Chesapeake Energy; Harold Hamm da Continental Resources que protagonizou mais tarde o divórcio mais caro da história dos divórcios dos Estados Unidos; o imigrante libanês Charif Souki que abandonou o negócio da restauração para lançar-se num terminal de importação de LNG que com a abundância de produção americana foi convertido em terminal de exportação de LNG; Mark Papa que transformou a EOG Resources (antiga filial da falida Enron) num operador de referência depois de ter mantido em segredo o que tinham descoberto na formação rochosa de Eagle Ford no sul do Texas e Robert Hauptfuhrer da Oryx Energy.

O livro conta a história dos últimos 20 anos de exploração de petróleo e gás nos Estados Unidos que foram marcados por maior investimento da produção no exterior por parte das grandes empresas, uma vez que existiam várias restrições locais para aumento das zonas de exploração no offshore. Neste contexto, as empresas menores decidiram apostar em formas alternativas de aceder às riquezas no subsolo arriscando milhares de dólares em experiências tecnológicas que acabaram por revelar-se revolucionárias. As grandes empresas perderam corrida e tiveram que recorrer mais tarde às aquisições para terem acesso ao bolo do xisto cujo aumento da produção afectou a oferta mundial e ajuda a explicar a actual depressão do preço do petróleo que tem provocado grandes constipações deste lado do globo.

“The Frackers” é a todos níveis um livro obrigatório para quem quer familiarizar-se com o que está por trás da exploração de petróleo e gás em formações rochosas mas também ajuda-nos a perceber porquê que certas revoluções tecnológicas acontecem sobretudo nos Estados Unidos. Os americanos ao longo da sua história parecem ter conseguido criar o ecossistema perfeito para empreendedores, onde as grandes ideias encontram os financiadores, técnicos e protecção judicial para as suas arriscadas apostas no desconhecido.

Título: “The Frackers The Outrageous Inside Story of the New Billionaire Wildcatters” | Autor: Gregory Zuckerman

Anúncios

O rectificativo previsível

(…) as actuais previsões do quadro fiscal 2015 continuam a assinalar elevadas incertezas de enquadramento internacional. O preço do barril de petróleo Brent reduziu de USD 115,49, a 19 de Junho de 2014, para USD 83,38, a 15 de Outubro de 2014, continuando a apresentar uma tendência de queda, em resultado do excesso de oferta induzido pelos Estados Unidos, por um lado, a que se acrescenta o esvaziamento da concretização das expectativas de aumento do preço do petróleo em decorrência do agravamento das tensões geopolíticas na Rússia, Ucrânia, Iraque e Líbia, importantes produtores de petróleo.

in Relatório de Fundamentação do OGE 2015

Pois é, em Outubro de 2014 o Brent estava cotado a $83,4 por barril e em Dezembro o governo angolano apresentou um OGE com o preço médio de $81/barril para 2015. Na minha modesta opinião, levar aquele OGE para a Assembleia Nacional não foi muito razoável e ver os deputados do MPLA a defender com unhas e dentes um orçamento que era claramente fictício não foi muito agradável, mais uma vez os deputados do MPLA exibiram grande sentido partidário mas muito pouco bom senso.

Com o preço do petróleo em queda e as indefinições na OPEP já todos tinham percebido que $81 era optimista, ainda assim o governo avançou com um orçamento que previa 2.551 mil milhões de kwanzas de receitas fiscais petrolíferas (cerca de 25,5 mil milhões de USD) muito abaixo dos mais de USD 30 mil milhões de estimados para 2014 e longe dos quase USD 40 mil milhões de 2012.

Mas muito mais grave do que isto é que muito dificilmente as receitas do governo com petróleo bruto chegarão aos 20 mil milhões de dólares e com os preços actuais deverão situar-se entre os 15-18 mil milhões de dólares…